World of Warcraft: O devastador de recordes e popularidade

World of Warcraft: O devastador de recordes e popularidade

A Blizzard Entertainment continua imbatível no lançamento de títulos grandiosos para PC. Em julho do ano passado, a produtora trouxe ao mercado o aguardado StarCraft II: Wings of Liberty, que vendeu mais de 3 milhões de cópias em 30 dias e bateu o recorde como jogo de estratégia mais vendido para computador. Mas a impressionante marca seria superada poucos meses depois pela principal franquia da produtora.
Em 7 de dezembro a Blizzard lançou Cataclysm, terceira expansão de World of Warcraft, um dos jogos de RPG on-line para múltiplos jogadores (MMORPG) mais populares do mundo com 12 milhões de jogadores atualmente, segundo a produtora. Logo nas primeiras 24 horas o título confirmou toda a expectativa dos jogadores e atingiu a grandiosa marca de 3,3 milhões de unidades vendidas. Um mês após o lançamento, World of Warcraft: Cataclysm vendeu 4,7 milhões de cópias e estabelece um novo recorde para a plataforma que até então era ostentado pela segunda expansão, Wrath of the Lich King.
Em comunicado oficial, o CEO e cofundador da Blizzard afirma: “a equipe está lisonjeada pela resposta da comunidade até o momento e nós gostaríamos de agradecê-los pela paixão e apoio contínuo para World of Warcraft, e ajudar Cataclysm atingir esta incrível marca”. A subsidiária da Activision tem motivos de sobra para comemorar, até o final do terceiro trimestre 2010 já tinha o lucro estimado em US$ 745 milhões.

Recordes do mundo de Azeroth

World of Warcraft foi lançado no final de 2004 e logo se tornou um sucesso pela riqueza de detalhes do fantástico mundo de Azeroth. O título continua a conquistar novos fãs pelo planeta divididos em dois grandes grupos: Horda e Aliança. O mais impressionante é que a cada expansão a Blizzard vem superando a marca atingida pela anterior. No início de 2007, chegou ao mercado The Burning Crusade que vendeu 2,4 milhões de cópias no primeiro dia.
A segunda expansão, Wrath of the Lich King, chegou às lojas no final de 2008 e superou a marca de seu antecessor nas primeiras 24 horas com 2,8 milhões de cópias comercializadas. Apesar de não haver nenhum tipo de especulação sobre a possível quarta expansão de WoW, a tendência é que a Blizzard lucre cada vez mais com a franquia, já que para rodar o jogo mais recente é preciso ter todos os títulos anteriores instalados no computador.

Transformações em Cataclysm

A expansão Cataclysm trouxe uma série de mudanças para o universo de WoW e não adicionou apenas áreas inéditas, as principais novidades do título são as grandes mudanças na geografia dos mapas conhecidos pelos jogadores. A trama mostra o ressurgimento do dragão negro Deathwing, personagem de Warcraft II, que quebra a barreira dimensional de Azeroth e causa um cataclisma, assim surgem as alterações em boa parte do mundo de WoW.
Além disso, os jogadores têm a disposição montarias voadoras para acessar determinados pontos do mapa e agora os veteranos da série podem alcançar o nível 85 de experiência no game. Outra alteração novidade é adição de duas novas raças: os Globins (Horda) e os Worgens (Aliança). Os primeiros já estão presentes no universo de WoW como comerciantes e se tornaram jogáveis na nova expansão. E os últimos são humanos que podem se tornar lobisomens.
Os números mostram que a Blizzard elevou venda de games a um elevado patamar que não havia sido atingido por nenhuma produtora. Mesmo após seis anos do lançamento, WoW não parou de evoluir em cada versão e se mantém no topo da lista dos jogos de RPG mais aclamados de todos os tempos.
No Brasil, World of Warcraft: Cataclysm é vendido por R$ 129, em média. Para jogar o game é necessário pagar uma mensalidade de US$ 14,99 ou adquirir cartões de créditos diretamente do site: www.battle.net.