CES 2011 encerra marcada por guerra de tablets

CES 2011 encerra marcada por guerra de tablets

A Consumer Electronics Show (CES), um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, atraiu cerca de 140 mil participantes na edição de 2011 realizada em Las Vegas, nos Estados Unidos. Em 2010, 120 mil pessoas participaram da feira. A associação responsável pela organização do evento divulgou os números durante o encerramento em 09/01 no domingo.
Um dos recordes da edição de 2011 foram as 30 mil pessoas que vieram de fora dos EUA, representando cerca de 80 países. Conforme o balanço da associação, 2,7 mil empresas de tecnologia atenderam ao evento, e 22 importantes executivos da área realizaram palestras.
De acordo com o site “PC Magazine”, o público na CES vem aumentando à medida que a economia segue a sua lenta recuperação. Em 2009, o evento atraiu 113,085 pessoas (número abaixo dos 141,150 em 2008), mas pulou para 120 mil participantes em 2010.
A associação destacou as principais tendências mostradas na CES 2011, como os tablets, smartphones com conexão 4G, TVs 3D e conectadas à internet e veículos eletrônicos.

Tablets
Para derrubar a Apple, líder no mercado de tablets, as empresas apresentaram seus produtos. Em sua maioria, mostraram configuração mais robusta que o rival, como conexões USB para pendrives e outros dispositivos, entrada HDMI para conectar o aparelho ao televisor e tela com maior resolução.
Do grande número de tablets exibidos na CES, os modelos apresentados pela Motorola e Research in Motion (RIM) se destacaram. Mas nenhum conseguiu se posicionar como matador de iPads, disseram os analistas. Alguns fornecedores mais preguiçosos parecem ter usado a feira como quadro-negro para mostrar ideias pouco desenvolvidas.
Os rivais já começam com atraso, depois que a Apple agiu de modo agressivo para estabelecer o mercado de tablets, sacrificando a margem de lucro que a empresa sempre considerou como fundamental a fim de oferecer o iPad ao preço de US$ 500.
A fabricante Asus, por exemplo, apresentou o “Eee Slate EP121”, tablet que tem como destaque o processador Intel Core i5-470M, 4 GB de RAM e 64 GB de espaço em disco. O aparelho roda o sistema operacional Windows 7, tem tela sensível ao toque de 12,1 polegadas com resolução de 1280 x 800, entradas USB e HDMI e câmera frontal de 2 megapixels. O tablet será compatível com canetas stylus que, de acordo com a fabricante, permite “desenhar com maior precisão”.
Entretanto, foi o sistema operacional Android 3.0, do Google, chamado de Honeycomb, que roubou a cena. Ele modifica toda a experiência visual já conhecida pelos usuários de smartphones com o sistema, tentando permitir um uso mais fácil dos aparelhos. A versão 3.0 do Android traz diversas opções de configuração de áreas de trabalho para os usuários, navegador Chrome, função de leitor digital, acessando milhares de livros disponíveis no serviço Google eBooks e acesso à conta do Gmail em uma página especial.
Além disso, o sistema permite conversar com usuários cadastrados no serviço Gtalk por meio de vídeo e acessar o Youtube em uma página especial. O Google Maps, serviço de mapas e geolocalização da empresa, traz um visual em 3D, permitindo que o usuário visualize a altura dos prédios, por exemplo.

Smartphones
Nos EUA, atrás da primeira colocada na venda de smartphones, a RIM, estão Google e Apple em segundo e em terceiro lugares, respectivamente. E na CES, fabricantes como Samsung, Sony e Acer, por exemplo, apresentaram modelos com o sistema operacional Android, do Google, para conquistar ainda mais fatia no mercado.
A LG apresentou o smartphone mais fino do mundo até o momento, o Optimus Black, com apenas 9,2 milímetros de espessura. O aparelho roda o sistema operacional do Google, Android, e possui tela LCD de 4 polegadas. O celular também suporta “Wi-Fi Direct”, que permite localizar facilmente outros dispositivos conectados à rede. Com essa função, celulares, TVs e outros aparelhos podem compartilhar arquivos.
A Motorola informou que o celular 4G Atrix, que deve chegar ao mercado neste trimestre, será conectado a um novo acessório conhecido como lapdoc, que se assemelha a um laptop, mas não funciona sem o celular. O lapdoc da Motorola tem tela e teclado do tamanho de um laptop, e seu objetivo é propiciar melhor navegação na web, melhor experiência com vídeos e melhor digitação do que as propiciadas por um celular convencional.

TVs e câmeras 3D
Outro grande setor em ebulição na CES 2011 foi o dos eletrodomésticos para imagens em três dimensões, um terreno em que Toshiba e Sony aparecem com propostas atrativas.
A Toshiba lançou suas telas de mais de 40 polegadas que dispensam o uso de óculos especiais para 3D, que começarão a ser vendidos no segundo trimestre na Europa. Já a Sony deu um passo além da tela em três dimensões e apresentou câmeras capazes de obter fotos e vídeos em 3D, assim como portáteis com tela em três dimensões.
Um dos recordes mais buscados pelos expositores da CES é o de maior televisão do mundo. Na edição de 2011, nenhum fabricante superou a marca obtida pela Panasonic na CES de 2010, com um monitor de plasma de 152 polegadas.
No entanto, a Samsung pode se orgulhar de ter a maior TV de LCD iluminada por LED. São 75 polegadas num aparelho com resolução Full HD e compatibilidade com conteúdo 3D.

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *